top of page

O Primeiro Oceano

Neste próximo sábado, 13 de abril, às 19 horas, na Livraria e Café Patuscada, a Editora Clóe, pioneira em publicações literárias na cidade de Diadema, lança “Todo Oceano Quebra no Mar”, primeiro romance publicado da autora baiana Lorena — assim mesmo, sem sobrenome.

A narrativa, em cerca de 120 páginas, revela os encontros entre diferentes personagens e seus enfrentamentos a um mundo marcadamente machista.

Passadas todas em torno de Salvador, de onde vem a autora, as histórias entrelaçadas pela trama narrativa revelam a dinâmica dos micro poderes que sujeitam às mulheres à diferentes tipos de violências, ao mesmo tempo que apontam para a capacidade feminina de contínua ressignificação de sua trajetória.

Temas delicados, como hipocrisia religiosa, abusos, conduta policial e loucura, são tratados com realismo e veemência.

Apesar de iniciante no mundo das publicações, Lorena já possui longa experiência como pesquisadora e mediadora de leitura, o que se se reflete na fluidez, concisão e domínio narrativo de sua prosa, muito pungente e vívida.

O lançamento mostra que a literatura de autoria feminina no país vive um momento importante de retomada, pesquisa e afirmação.

A edição bastante caprichada e o excelente título, Todo Oceano Quebra no Mar, completam os atrativos desta primeira empreitada editorial da jovem escritora.

Vale muito conferir, respirando fundo em muitos momentos!

A Livraria e Café Patuscada, reduto de literatura independente, fica localizada na Rua Luis Murat, 40, Vila Madalena, São Paulo.

 

Carlos André

março/abril de 2024

4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Do fim ao começo

no começo, era a língua do jaguar em minha garganta no fim serei jaguar em tua língua infinita em mim Gledson Sousa Gledson Sousa é poeta. Antes de tudo e antes de qualquer imposição vital, Gledson So

Por que não conversamos sobre Marcelo Torres

Não sabemos porque não lemos nossos poetas. Não sabemos porque, não os lendo, deixamos de dar importância para esta leitura. Somente quando estramos em contato com sua poesia é que entendemos o quanto

Comments


bottom of page