top of page

Editora Clóe, de Diadema, publica primeira tradução brasileira do premiado autor espanhol Francisco Álvarez Velasco

Muito conhecido em terras europeias, mas ainda inédito no Brasil, o poeta Francisco Álvarez Velasco chega pela primeira vez às nossas prateleiras pela tradução do Professor Doutor Andytias Soares de Moura Matos, da Universidade Federal de Minas Gerais, em edição eximiamente cuidadosa da Editora Clóe, primeira editora independente de Diadema, do ACBD Paulista.

          Velasco, ou “Paco”, como é carinhosamente também chamado pelos leitores de seu país nativo, começou a publicar em 1979 e já recebeu alguns dos mais importantes prêmios literários da Espanha e países vizinhos, tais como: o IX PREMIO INTERNACIONAL DE POESÍA “ANTONIO MACHADO EN BAEZA”, o PREMIO DE LA CRÍTICA DE ASTURIAS DE 2006, o XXXI PREMIO JAÉN DE POESIA e o PREMIO DE LA CRÍTICA DE ASTURIAS DE 2016.

          Segundo as palavras do tradutor, a escolha de apresentar o poeta ao Brasil através da edição bilingue integral de um de seus muitos livros, TEMPO DE AMOR E MAR, ao invés da organização de uma antologia de melhores poemas, se deu porque:

 

 “(..) nesta obra aparecem de forma condensada as características que fazem de Paco um dos poetas mais intensamente espanhóis que conheço, e isso considerando que, para mim, a Espanha, com suas múltiplas línguas, geografias, histórias, lendas e povos, é a terra da poesia por excelência. Aqui está presente aquela profunda simplicidade do verso espanhol, que ameaça a todo momento se transformar em dicho, em sentença sapiencial, porém sempre temperada pela mais deliciosa ironia, como se pode perceber nos poemas de Antonio Machado, referência maior de Paco, ao lado de César Vallejo e de Federico García Lorca.”

 

            Edição imperdível pra quem gosta ou quer conhecer o que há de mais interessante em nosso atual circuito de publicações poéticas.

10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Do fim ao começo

no começo, era a língua do jaguar em minha garganta no fim serei jaguar em tua língua infinita em mim Gledson Sousa Gledson Sousa é poeta. Antes de tudo e antes de qualquer imposição vital, Gledson So

Por que não conversamos sobre Marcelo Torres

Não sabemos porque não lemos nossos poetas. Não sabemos porque, não os lendo, deixamos de dar importância para esta leitura. Somente quando estramos em contato com sua poesia é que entendemos o quanto

Um Apocalipse Poético

É ninguém menos que Cláudio Willer quem diz, no prefácio do mais recente livro do poeta Nitiren Queiroz, estar “atento, tentando captar” o trabalho deste autor, que oferece uma “garrafada alucinógena”

Comments


bottom of page